Telefone/Whatsapp para contato
(61) 3443-1042 (61) 99809-8484

Perda Auditiva

Home - Perda Auditiva

Como ouvimos?

O ouvido é composto basicamente por três partes: o ouvido externo, o médio e o interno. A orelha funciona como uma concha acústica, que capta os sons e os direciona para o canal auditivo. As ondas sonoras fazem vibrar o ar dentro do canal do ouvido e a vibração é propagado ao tímpano, que transmite o movimento para os três minúsculos ossos do ouvido médio. A vibração destes pequenos ossos põe em movimento o líquido do ouvido interno, que faz as células ciliadas na cóclea se moverem e liberarem estímulos ao nervo auditivo, o qual responde gerando impulsos elétricos. Estes impulsos elétricos são transmitidos ao cérebro, onde são interpretados como som.

.

Tipos de perda

A perda de audição pode ser dividida em três tipos: perda auditiva de condução, que resulta de uma interferência na transmissão do som do ouvido externo para o ouvido interno; perda auditiva neurossensorial, irreversível e geralmente causada pela lesão das células ciliadas da cóclea; e perda auditiva mista, causada por alterações no ouvido interno, assim como no ouvido externo ou no ouvido médio. A perda auditiva é classificada em graus: leve, moderado, severo e profundo.

Causas

São muitas as causas para a perda auditiva. Ela pode ser hereditária ou apenas fazer parte do processo de envelhecimento. Pode ser desencadeada por uma explosão com ruído alto, por infecções ou por efeitos de toxinas, por exemplo. A boa notícia é que, independente da causa, existem soluções para corrigir com sucesso a maioria dos tipos de perda auditiva.

Consequências

A perda auditiva traz dificuldade em se comunicar, falar ao telefone ou assistir televisão, e pode também prejudicar a saúde física e mental. Cansaço excessivo, depressão, redução da capacidade cognitiva e dificuldade de aprendizagem são alguns dos problemas associados.

Em idosos, a perda auditiva não tratada pode fazê-los se isolar do convívio social e pode evoluir para a depressão. Um dos principais riscos é desenvolver demência, doença cerebral que causa diminuição da capacidade de raciocínio e memória. A diminuição dos sons que entram pelos ouvidos e chegam ao cérebro reduzem a capacidade cognitiva, encurtando as atividades cerebrais.

No caso de crianças e adolescentes, a deficiência auditiva não tratada aumenta a chance de atrasos no desenvolvimento da linguagem e comunicação, além de apresentar dificuldades de aprendizagem.

.

Tratamentos

O aparelho é o principal tratamento para a maioria dos casos, independentemente da idade do paciente. No entanto, é o médico quem vai definir se esse é realmente o tratamento mais adequado, com base no histórico do paciente, no exame físico e no exame de audiometria.

Se a perda auditiva for diagnosticada como temporária, como aquelas causadas por alguns tipos de infecções, o simples tratamento da infecção pode recuperar a capacidade de ouvir do paciente, sem a necessidade do uso do dispositivo.

O implante coclear só é indicado para quem sofre de surdez severa ou profunda nos dois ouvidos e não teve resultado com o uso do aparelho auditivo. Formado por um chip e um fio de eletrodos, o dispositivo é implantado na cóclea, parte do ouvido responsável por receber sons. Do lado de fora, o microfone capta o som e transmite para o processador, que transforma os sons em impulsos elétricos. Esses impulsos estimulam as células auditivas e aí o cérebro perceber o estímulo como um som.

Agende seu teste
Gratis por whatsapp

Clique aqui e ganhe R$ 300,00 de desconto*

Preencha seus dados
para ter o seu desconto*


Regras do desconto
*Válido para qualquer aparelho auditivo da linha Advanced Premium