"

Perda auditiva moderada tem cura?

Existem vários graus de perda auditiva, variando de leve a profunda. A perda auditiva moderada pode muitas vezes ser negligenciada por causa da percepção de que não é uma condição séria.

No entanto, pessoas com perda auditiva moderada já apresentam dificuldade para entender a fala normal ou para ouvir o toque de uma campainha, por exemplo. Além disso, pode ser difícil acompanhar ou ouvir sons durante conversas habituais.

Neste artigo, você vai conhecer mais sobre essa condição e a importância de procurar um tratamento, independente do grau da perda auditiva. Vamos lá?

Impactos da perda auditiva moderada

Em média, alguém com perda auditiva moderada não consegue ouvir sons entre 40 e 75 dB. Para fins comparativos, uma conversa em tom mais baixo (quase sussurrando) possui cerca de 40 dB e o barulho de um carro com motor ligado já possui cerca de 75 dB. Sendo assim, alguém nessa condição pode não perceber até 80% do sinal de fala de uma pessoa.

Ter uma perda auditiva não significa apenas que os sons não são altos o suficiente. Muitas vezes, isso indica que os sons não são suficientemente claros. Geralmente, pessoas com perda auditiva moderada percebem que podem ouvir, mas não conseguem entender claramente as conversas do cotidiano.

Para crianças, se a perda auditiva não for identificada e adequadamente diagnosticada, é muito provável que ela apresente dificuldade de aprendizagem, vocabulário limitado e trocas na fala. Para pessoas com idade avançada, a falta de tratamento pode levar ao isolamento e ao abandono das atividades preferidas em função da dificuldade de ouvir.

O tratamento para a perda auditiva moderada

O grau de perda auditiva é medido testando os sons mais suaves que um indivíduo pode ouvir em frequências diferentes. Ao analisar o tipo e o grau de perda auditiva de alguém, um otorrinolaringologista poderá orientar a melhor solução para o caso.

As pessoas com perda auditiva moderada são boas candidatas para aparelhos auditivos. A tecnologia desses aparelhos percorreu um longo caminho. Hoje, os dispositivos são leves, elegantes e personalizados para qualquer grau de perda auditiva.

Existem aparelhos auditivos para cada estilo de vida e orçamento, sendo que o paciente com perda auditiva moderada tem ainda mais opções, quando comparado aos pacientes com perda auditiva severa e profunda.

De modo geral, dispositivos para perda auditiva moderada também exigem menos trocas de bateria em comparação com os adaptados para uma deficiência profunda que precisarão contar com sons mais potentes.

A importância de procurar um tratamento

A perda auditiva nem sempre é algo claro. Para alguém que visita frequentemente familiares e amigos,  gosta de passar tempo em restaurantes ou no teatro, por exemplo, será mais fácil identificar qualquer dificuldade para ouvir. Por outro lado, alguém que vive um estilo de vida menos ativo, no qual a socialização é pouco frequente, pode, simplesmente, não perceber a perda auditiva ou não dar a ela a devida importância.

Pesquisas indicam que as pessoas que descobrem uma perda auditiva esperam, em média, sete anos para procurar ajuda com aparelhos auditivos. Durante esse tempo, a perda auditiva progride e o cérebro “esquece” como ouvir o som adequadamente. Em idosos, a perda auditiva pode levar ao desenvolvimento da demência, por exemplo, um quadro realmente preocupante.

Todos podem e devem ouvir cada som presente no mundo. E não há como estimar o quanto se perde ao negligenciar tal capacidade. Ou seja, mesmo que o paciente tenha uma perda auditiva leve, ele precisa tratá-la.

Pessoas que procrastinam por muito tempo o tratamento se tornam menos capazes de entender a fala ao longo do tempo. Diagnosticar uma perda auditiva moderada lhe dá mais chances de sucesso na reabilitação de sua audição para manter uma boa qualidade de vida.

E você, qual foi a última vez que fez um exame de audiometria para identificar uma possível perda auditiva? Quer saber mais a importância de ouvir melhor? Leia também: A importância de ouvir: qualidade de vida e contato com o mundo

Share

Leave A Comment