"

Perda auditiva neurossensorial: o que é e quais são as causas?

O ouvido é composto basicamente por três partes: o ouvido externo, o médio e o interno. A perda auditiva neurossensorial ocorre diante de danos no ouvido interno. Com essa condição, existe uma dificuldade na decodificação dos sons e, além da dificuldade de escutar, o paciente também tem dificuldades na discriminação de alguns sons.

Por se tratar do tipo mais comum de perda auditiva, neste artigo, você vai conhecer as principais causas dessa doença e quais são as formas de tratamento. Acompanhe!

As causas da perda auditiva neurossensorial

Ter perda auditiva neurossensorial significa que ou as células ciliadas do ouvido interno foram danifinificas. Quando presente em ambos os ouvidos, o paciente pode apresentar dificuldade na compreensão das mensagens, mesmo quando a fala for suficientemente alta. Quando presente em um só ouvido, pode ter dificuldade para localizar de onde vêm os sons ou para ouvir ruídos de fundo, em locais mais barulhentos.

Embora grande parte da perda auditiva neurossensorial esteja relacionada ao envelhecimento, existem outros fatores que podem causar o problema. Geralmente, eles podem ser classificados em duas categorias. Conheça-as agora!

Perda auditiva congênita

Ela pode ser hereditária ou causada por desenvolvimento anormal nos estágios iniciais da vida intra-uterina. Essa categoria exige uma atenção especial, pois, uma vez não tratada, a deficiência pode atrapalhar o aprendizado da criança em desenvolvimento e, quando em processo de alfabetização, afetar consideravelmente o seu desempenho escolar.

Perda auditiva adquirida

Ocorre após o nascimento e pode ser causada por uma ampla gama de fatores. Esses fatores incluem traumas na cabeça, doença de Meniere, exposição ao ruído alto de máquinas, explosões ou de fones de ouvido.

Infecções virais, como sarampo, meningite e caxumba também podem causar perda auditiva neurossensorial adquirida. Além disso, as drogas ototóxicas — que podem danificar o ouvido, mas que são necessárias para o tratamento de algumas condições médicas potencialmente fatais — também desencadeiam a perda auditiva.

Um em cada três adultos, tanto homens quanto mulheres, com idade entre 65 e 74 anos apresenta algum tipo de perda auditiva. Além disso, após os 75 anos, quase metade dos adultos apresenta perda auditiva. Felizmente, a perda auditiva pode ser tratada. Saiba como a seguir!

Tratamento para a perda auditiva neurossensorial

O primeiro passo para uma melhor audição é contar com o diagnóstico do otorrinolaringologista. O médico solicitará alguns exames, que serão realizados pelo fonoaudiólogo, para então, indicar o melhor tratamento para o caso.

De forma geral, as perdas auditivas são permanentes. No entanto, na maioria dos casos os efeitos negativos da perda auditiva neurossensorial, seja ela leve, moderada ou severa, podem ser amenizados com o uso de aparelhos auditivos.

Dessa forma, por mais que não existam formas de reverter os danos da perda auditiva neurossensorial, existem opções para ajudar a manter uma vida normal para o paciente, mesmo com o problema na audição.

Leia também: A importância de ouvir: qualidade de vida e contato com o mundo

Share

Leave A Comment